"Eu não escrevo poesia, não escrevo poema. Eu só desnudo minha alma." Fátima Amaral

sábado, 5 de maio de 2012

Nós três

Há uma diferença de passos
De espaços
De desejos
Entre eu,
meu corpo
e minha sombra.

Saio à frente cometendo pecados
Todos eles.
O corpo vem logo atrás
Todo acabado
Pedindo à sombra
Que apague os vestígios
Nem me importo com os litígios

Siga em frente sorrindo
E lá vem o corpo criticando,
E a sombra se assombrando.



9 comentários:

Arianne Carla disse...

Bem minha cara, Fátima. Eu saio assim, bem à frente, cometendo pecados, todos eles mesmo e minha sombra vem como uma cúmplice sem culpa. Linda a sua poesia.

Um beijo,
http://eppifania.blogspot.com/

Ana Martins disse...

Muito original, Fátima!

Beijinho,
Ana Martins

Ingrid disse...

sombras e reflexos nos assomam e assombram por vezes.
beijos linda Fátima..

EDER RIBEIRO disse...

Sempre os fantasmas para nos impedirem de praticar as nossas vontades. Bjos.

Lufe disse...

Muito bom!
A sombra que apague os rastros.....


bjo procê

Mik disse...

Acho que a sombra não apaga. Mas pode muito bem pagar os pecados ainda não perdoados ...
Q lindo flor!
Bjs

Jean Maia disse...

assombrado por mim mesmo, somos 2

Jean Maia disse...

assombrado por mim mesmo, somos 2

Halifas Quaresma disse...

Íntimo...

Beijos!