"Eu não escrevo poesia, não escrevo poema. Eu só desnudo minha alma." Fátima Amaral

segunda-feira, 11 de março de 2013

Meu corpo se escreve em sentimentos estendidos

O meu corpo está escrito na mulher que sou
O depois, já chegou.
Veio na solitude que um dia
Já me apresentava.
No silencio e embriaguez dos passos;
Nem sempre escolhidos a dedos.
Nem sempre preenchendo espaços. 

Estendidas ao longo de mim 

ficaram as mãos, em silenciosa procura
A ler meu corpo vestido
Na cumplicidade com o tempo
(Em seu silêncio ruidoso)
A escrever meu corpo despido,

Tempo dos sentimentos estendidos.

No meu corpo a nudez está escrita
Como um tecido que desnuda nas linhas, 

sua forma transparente.
A amanhecer o tempo de ser, simplesmente.
Ser, sem o medo dos voos debaixo da noite.



12 comentários:

EDER RIBEIRO disse...

belo poema Fátima. Bjos.

. intemporal . disse...

.

.

. e assim se re.inscreve o amor . entre margens de um corpo . circunscrito .

.

. um beijo meu . querida amiga .

.

. terno e e.terno . sempre .

.

.

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

As palavras
que semeiam o pensar
são preciosas.
Delas nascem sentimentos
que nos tiram do lugar comum
e nos fazem sentir
o perfume
precioso da vida.

Olha o céu de manhã.
Vês como brilha iluminado
por teus sonhos...

Malu Silva disse...

Fátima, uma beleza de obra!! Um poema intenso deixando o corpo a falar por si só...
Abraços

António Jesus Batalha disse...

Ao passar pela net encontrei o seu blog, estive a ler algumas coisas e posso dizer que é um blog fantástico,
com um bom conteúdo, dou-lhe os meus parabéns.
Se desejar faça uma vista ao Peregrino e sevo e deixe o seu comentário.
Sou António Batalha, do Peregrino E Servo.

Dilmar Gomes disse...

Fatima, vim aqui agradecer tua visita ao meu modesto espaço e acabei me deparando com este belo poema lírico.
Um abraço. Tenhas um lindo dia.

Miss Danielle de Barbarrac disse...

Olá Fátima, eu tenho TPB também e é incrível como todos nós passamos pelas mesmas coisas. Fiz um blog recentemente também para poder me abrir, falar o que sinto me deixa menos inquieta. Fique com Deus!

Eu Nos e os Sinos disse...

Lindo poema! Belo título.
Ja seguindo.
Bjkas
Catiaho Reflexo d'Alma
http://eunoseossinos.blogspot.com.br/
http://reflexosespelhandoespalhandoamigos.blogspot.com.br/

Eilan disse...

Que lindo poema!
Adorei!

Bjos,

Eilan

http://borderline-girl.blogspot.com.br/

luiz gonzaga disse...

os rumos da literatura,como um doce que se saboreia,se revela apenas nas mentes que entende sentimentos.é bom poder ser parte amiga deste sentimento...Fátima.
parabéns

Giancarlo disse...

Un felice week end per Te...ciao

Jasanf disse...

As reminiscências que o eu-lírico passa nesse poema é surpreendente, visto que traz lembranças simples que nos remete ao nosso próprio ato de viver. Lindo poema! Quando der, passe em Lectando-me.