"Eu não escrevo poesia, não escrevo poema. Eu só desnudo minha alma." Fátima Amaral

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Os lobos crescem

No jardim secreto
Havia uma criança encolhida
Querendo colo
Ser acolhida
Querendo crescer
Sem mais ser tolida...

Cansei do meu silencio
Grito o meu silencio
Cansei de viver suspenso
É hora de dizer o que penso

Quero todos os detalhes do espelho
Todas as linhas
Todas as curvas
Só agora nas curvas tortas
Vejo as linhas retas
Os caminhos mais certos

Cansei do meu mistério
De todos os meus segredos
De todos os medos

Cansei do veneno
Correndo em minhas veias
Cansei do mundo paralelo

Cansei da hipocrisia
(de todos e das minhas)
Cansei dos banhos mornos
Quero água fria

Cansei da morte
Em mim todos os dias
Na vida que me resta
Quero pulsar vida

Enfim...
Cansei da criança do jardim.

21 comentários:

AC disse...

A necessidade de respirar, um grito de apelo à vida...

Beijo :)

Chris disse...

Me emocionou muito teu post!Além da beleza que deu as palavras,vivo um momento assim.Até postei algo no meu blog,nada tão poético,mas em conssonância com o que aqui nos presenteou. Chama-se Caixa

beijos e espero tua visita. (esse mundo da blogosfera ainda é novo pra mim...rsrs)

Ingrid disse...

uau!.. isso é vida amiga!!!..
amo cada vez mais teus escritos ...
um beijo!

Vozes de Minha Alma disse...

Poetisa, lembrei-me do filme O Jardim Sacreto, conhece?
O poema é lindo, e é reflexivo.
As vezes essa criança no Jardim cansa mesmo, não é?
Um abraço, bjs.

Cria disse...

Belo por demais, parabéns pela grandiosa inspiração ! Beijo.

legalmente loira... disse...

Oi amiga, vim matar a saudade e pedir desculpas pela ausência, a vida é feita de pausas e estou fazendo a minha logo volto.
otimo final de semana com bjos
aqui tudo é lindo..saudades...

Alexandre Fernandes disse...

É bom essa renascença, deixar de lado a criança do jardim e buscar o adulto mais profundo. Porque certos discernimentos só surgem assim, quando estamos convidativos a novos conhecimentos.

Só precisamos, num dado momento, almejarmos a vida, o brilho incessante dela.

Beijos

Uma boa semana querida!

Nini C . disse...

Nuss Fatima, adorei. Nem tenho palavras pra expressar o quanto. Se esse cansaço mudasse alguma coisa. Beijos...

:: Mari :: disse...

Nossa Fátima,
Me emocionei, chego a ficar sem palavras pra cada linha que li.
Parece um grito de basta, a busca de mudança, sei lá. Emocionante mesmo.

Belo!

BeijÃo

Ótima semana!

João Lenjob disse...

Parabéns pelo belíssimo poema!! Aguardo sua visita em meu blog. Beijo!!

João aLenjob.

Mgomes - Santa Cruz disse...

Ola Fátima lindo Poema Nos quando somos crianças queremos ser adultos, mas quando chegamos adultos por vezes temos saudades do tempo de Criança, mas é bom recordarmos esses tempos todos, adorei o teu poema.
Beijos
Santa Cruz

Valéria Sorohan disse...

Fátima, um arraso de poema.
Tem hora que temos mesmo que crescer. Mas nunca, perder a criança dentro de nós.

BeijooO*

Luciana disse...

Oi Fátima, belo texto.

Uma boa semana

Bjs

JOCARLOSBARROSO disse...

Belo post,um grito no ar, vontade de crescer, necessitade de realizar. Parabéns!
Fátima gostaria de agradecer os seus comentarios sobre o meu blog. Ocorre que devagar vou chegando. Quem sabe que a timidez resolveu me tolhir?

Pistoleiro Corvo disse...

Acredite, a noite é mais escura antes do amanhecer.
Levante-se, você tem forças para isso.

Abraços!

Eraldo Paulino disse...

Uau!!!!

O poema mais a flor da pele teu que já li nos últimos tempos.

Eu dancei, gritei e lagrimei um tanto nele...

Bjs!

Por que você faz poema? disse...

O cansaço acolhe.

Daniel Costa disse...

FÁTIMA

A vida tem vezes que a palavra "cansei", pode fazer sentido. Um poeta tem o poder de de a usar, tornando-a agradável, foi o que fizeste.
Beijos

O Profeta disse...

Sonhei
Com mares, com uma longa travessia
Desfraldei uma vela alva
Naveguei na chegada, na partida morria

Sonhei que era um cavaleiro andante
Por dias de inquietante perdura
Avistei um vagabundo num espelho de água
Era a minha alma talhada em pedra fria e dura

E fui criança de esvoaçante riso
Pássaro embriagado pela cor
Busquei em gestos enlouquecidos
Aquilo que pensava ser o amor

Doce beijo

. intemporal . disse...

.

. talvez a profecia possa ser desígnio .

.

. um beijo meu .

.

Cria disse...

Um texto repleto de encantos ! Parabéns, beijos e obrigada por teu carinho.