"Eu não escrevo poesia, não escrevo poema. Eu só desnudo minha alma." Fátima Amaral

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Assim rimando recomeços

E de tanto ouvir os cantos
Entendi seus cantos
Não renovei os prantos
Me prendi em encantos
E foram tantos
Que assim levanto
Um tanto mais santo
E os cantos...
Eu os ouço
E recanto.

11 comentários:

Mery disse...

Bonito esse poema pequeno, mas tem seu "encanto; e de tanto ouvir os cantos, entendi seu canto...*
Bjus

EDER RIBEIRO disse...

Fátima, enquanto canto, tanto quanto encanto, em cada canto, o teu canto é acalanto para todos os pranto. Bjos.

Lufe disse...

Oi Fatima,

E os encantos foram tantos, que agora os recanto quase em forma de acalanto......

lindo

bjocas procê

NOEMI disse...

QUEM CANTA SEUS MALES ESPANTA E NOS ENCANTA,CONTINUE SEMPRE NOS ENCANTANDO QUERIDA.bjs

Maria Alice Cerqueira disse...

Boa b=noite amiga,
vim agradecer a sua presença lá no meu cantinho, seja muito Bem vinda ao mundo magico do coração!
Abraço amigo
maria Alice

Cronollogias disse...

Na brevidade de um poema, habitam todos os sentidos dos versos, que se pretendem eternidade. O que fica e vira história poética.

Gostei de sentir,

um beijo contente.

Valéria Sorohan disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Valéria Sorohan disse...

Um encanto e tanto.

BeijooO*

Nilson Barcelli disse...

Cantas e encantas.
És uma gracinha na poesia. Adoro.
Fátima, querida amiga, tem uma boa semana.
Beijos.

ॐ Shirley ॐ disse...

É tão bom brincar com as palavras e fazer um poema...Bonito, Fátima. Um beijo!

Mik disse...

Recantos de contos e cânticos embalsamados de ventos cantados ...

Lindo poema!

Sopros de luz...