"Eu não escrevo poesia, não escrevo poema. Eu só desnudo minha alma." Fátima Amaral

domingo, 4 de setembro de 2011

Na Janela

Se penso que observo, me engano,
Vejo o tempo atento me olhando,
A vida me observando,
A luz e a escuridão cada uma em sua vez,
Vendo minhas marcas,
Uma observa outra oculta.
A poluição me vê cegando.
Me olham, somente mais uma.
Em lentidão oposta as suas velocidades.
E o tempo diz
Vai ficar ai quanto de mim, mais uma década?
E eu ignoro o tempo.
E a vida pergunta, sou assim para você?
Acho-te sem graça.
E não há movimento meu, nessa silhueta.
Eu não posso olhar os que me olham
Estou muito ocupada me observando por dentro,
Perdendo fora de mim vida e tempo.


                                 ***
Saudades de todos!!! 

8 comentários:

Ingrid disse...

que alegria ter de volta teus versos e presença!!!
espero que tudo esteja bem..
beijos perfumados de carinho..

AC disse...

Um regresso traz sempre com ele novas canções do vento...
Bem-vinda!

Beijo :)

Eraldo Paulino disse...

Noooooooossaaaa

que coisa boa você aparecer. Senti muito a tua falta, querida.

Seja bem vinda e tomara que por muito tempo!

Bjs!

Dilmar Gomes disse...

Fatima, bonito poema. Gostei!
Um abraço fraterno. Tenhas uma linda semana.

Valéria Sorohan disse...

A gente só tem a ganhar com a sua volta Fátima, como são delicadas suas palavras. Vc fez falta.

Um beijooO*

Lufe disse...

Oi Fatima,

Que bom que voltou.
Espero que continue a postar poemas como este, que nos absorvem e nos levam a reflexão. Gostei.

bjos

olhar disse...

Lindona do meu coração!
Mas que saudades de você!!

*estou em falta contigo, eu sei...estou em falta até comigo...

Que maravilha que voltou a escrever!

Te ler é sempre bom demais!!!

Estou com msn novo, me adiciona:

anabia.maia@hotmail.com

O outro foi clonado!

Beijos com todo meu amor!

Biazinha

Lilá(s) disse...

De volta! que bom, senti saudade.
Bjs