"Eu não escrevo poesia, não escrevo poema. Eu só desnudo minha alma." Fátima Amaral

sábado, 5 de novembro de 2011

Ontens

E pego um tanto de ontens
E me debruço com eles à janela
Alguns, estendo ao lado
Molhados de lágrimas,
Deixo-os secarem,
Se evaporam.

Outros tantos comigo conversam,
Absorta sigo seus rastros
Tiram de mim risadas
Um dia já sentidas.

Outros me fazem mais uma vez doer.
Esses me erguem,
Está neles tudo o que me serve.

E há os que não gosto
São nos ontens "de não devia"
Esses, ignoro
Já que passo atrás é impossível.

E depois de quentes pelo sol, alguns tantos
Ainda pego, ponho-os aqui dentro,
E quando os convido para olharem à frente...

Muitos são somente ontens,
Outros em hoje se tornam,
Alguns ficarão em mim amanhã.

21 comentários:

AC disse...

O nosso edifício sustenta-se com todos os nossos "ontens".
Belo, Fátima!

Beijo :)

EDER RIBEIRO disse...

se for para aprendermos, "os ontens" nos serve sempre. Bjos.

Alê disse...

haja 'hoje', pra tantos 'ontens'

Lufe disse...

Fatima querida,

Maravilha!!!

Esta imagem de se buscar os ontens à janela, traze-los à claridade, descartar o descartavel e buscar os que devem nos acompanhar para o amanha, foi linda.

bjos procê

Ingrid disse...

o ontem que nos incompletam..
beijos querida..
um lindo domingo..

Terê. disse...

olá Fatima, saudade, não tenho passado muito por aqui, mas não esqueço. bom domingo, fique com Deus, bju tere.

Vivian disse...

...como sempre,

linda e poética!

bjs, alma linda!

Carla Fernanda disse...

Lindo querida! Os ontens nos trzem o hoje que levamos para o amanhã...
Beijos e bom domingo!!!
:D

Izaqueu Nascimento disse...

LINDO FATINHA...VEJO FACIM FACIM SUAS POESIAS NO TEATRO.. COMO EU SENTIRIA ORGASMOS INTERPRETANDO AS.. VC É ILUMINADA..BEIJAO

Arianne Carla disse...

Estou ficando apaixonada pelos seus poemas e poesias. Já estou seguindo, não quero perder de vista.
Boa tarde.

meus instantes e momentos disse...

bonito isso, gosto daqui.

Sonhadora disse...

Minha querida

Por vezes os ontens magoam tanto que mais vale esquecer...se conseguirmos.
Como sempre escreves com a tua alma.

Deixo um beijinho com carinho
Sonhadora

Luna Sanchez disse...

Os meus ontens me contém mas não deixo mais que me aprisionem.

Lindo, Fátima, adoro te ler!

Um beijo, flor.

。♥ Smareis ♥。 disse...

Muitos são somente ontens,
Outros em hoje se tornam,
Alguns ficarão em mim amanhã. Que lindo e profundo. Beijos e ótima semana.

Cria disse...

Excelente expressão, amiga Poeta ! Beijos.

Cida disse...

Uau! Gostei muito, Fátima. Muito mesmo!

Deus abençoe esse seu dom.

Obrigada pela visita e pelo carinho.
Também estarei te per[seguindo]
:)

PAZ & LUZ!

Beijooooo,

Cid@

nilson oliveira disse...

Oi Fátima! Muito bom ter sua visita!

Queiramos ou não, os rastros do ontem sempre nos perseguem ou insistem em nos acompanhar no presente, no futuro.

E cicatrizes, dores, somente mesmo em parceria com o tempo para podermos suportar, tolerar, conseguir algum alívio em algum dia que será especial verdadeiramente em nossa vida.

Abraços,

Nilson

Valéria Sorohan disse...

Não se passa em vão pelos "ontens".

Um beijooO* vc é uma querida.

Brunna F. disse...

"Ontens e ontens"... Maravilhoso!

Lua Nova disse...

Somos mesmo um conjunto de ontens adormecidos ou expectantes, armazenados em nossos alforjes de viajantes do tempo, do tempo linear que conseguimos compreender. Alguns ontens se perdem nas memórias do próprio tempo, outros serão nosso subsídio do hoje e ainda outros nos ajudarão a transformar nossos amanhãs para que possamos ser mais felizes.
Lindíssimo teu texto. Me fez penssar.
Beijokas e meu carinho.

Dário Rodrigues disse...

Oi, bom saber de você.

Gostei dos ontens, e gostarei dos amanhãs.

Um beijo querida...